Política – Resgate Santista propõe alteração no modelo social, político e profissional do Peixe

Portal Santista Roxo propõe mudanças no Santos FC (Foto: Divulgação)

Portal Santista Roxo propõe mudanças no Santos FC (Foto: Divulgação)

A Associação Movimento Resgate Santista publicou em seu site nesta quinta-feira (29), propostas de mudanças no modelo social, político e profissional do Santos Futebol Clube. Em nota, o grupo assume erros cometidos durante a sua gestão, quando o ex-presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro assumiu o clube após vencer a chapa que tinha até então Marcelo Teixeira no poder.

A eleição presidencial no Santos FC acontece em dezembro de 2017. Confira abaixo a nota oficial, publicada no portal Santista Roxo.

A Associação Movimento Resgate Santista, desde a sua fundação, em 2001, tem como finalidade participar do cenário político do Santos Futebol Clube, sempre de maneira propositiva e inovadora, defendendo os interesses do clube, assim como os principais e bem-sucedidos modelos, conceitos, fundamentos e práticas adotadas no segmento empresarial e esportivo.

Assumindo a gestão política do Clube em 2010, após sagrar-se vencedora no pleito de 2009 com a proposta de introduzir uma gestão moderna, plano de austeridade financeira, governança corporativa e profissionalismo em todos os departamentos, gerando, em um primeiro momento, importantes e expressivos resultados, dentro e fora de campo.

Infelizmente, ao longo do mandato, erramos e lamentamos os rumos que a gestão tomou, já sem estar envolvida com a Resgate Santista. Assumimos e assimilamos os erros em diversas ações que prejudicaram o Santos Futebol Clube, traindo a confiança do associado. Com isso, a direção do Movimento agiu desfiliando todos que estavam no comando do Clube e que não mais compartilhavam os mesmos princípios e ideais que os elegeram.

Após esse período de transição, a Associação Movimento Resgate Santista retorna à sua origem, cujas características, diferencial e marca registrada do grupo, tem a proposta de alterar, de maneira drástica, porém, positiva sob todas as análises a serem abordadas e consideradas, com modelo único, pioneiro e de vanguarda no Brasil de gestão esportiva de entidade desportiva.

E como o associado e torcedor santista pode voltar a confiar na Resgate Santista?

O Clube, atualmente, está muito abaixo de seus principais concorrentes nacionais em todos os aspectos – gestão, finanças, receitas, estrutura, patrocínios, ações diversas -, ancorado em um modelo arcaico de gestão e sem solução aparente.

Com dívidas se aproximando dos 600 milhões de reais, após informações do primeiro trimestre de 2017, redução drástica de receita decorrente da limitada diretoria e inoperantes departamentos, aumento de despesas, inclusive, com o injustificável aumento da folha salarial do Departamento Administrativo, mesmo diante de atrasos nos pagamentos, por exemplo, dos direitos de imagem do Departamento de Futebol, cujas posturas, atitudes, desempenho e resultados não condizem com a visão que o torcedor projeta.

A Resgate Santista, fundamentada nos principais conceitos e práticas existentes das entidades esportivas da Europa e EUA, bem como projeto de Lei 5.082 de 2016 que está sendo trabalhado no Congresso Nacional, e baseado no próprio Estatuto Social do clube, propõe:

  • Criação por parte do Santos Futebol Clube de uma empresa LTDA e, posteriormente, S/A, sendo sempre sócio majoritário, preservando sua história, tradição, cores e legado, tendo o controle da instituição e possibilitando se profissionalizar, estando à altura das principais entidades desportivas, por meio de planejamento estratégico a ser apresentado antes do período eleitoral – e não carta de intenções, como todos os movimentos e personagens políticos do Clube apresentam, normalmente, não as cumprindo -, considerando período de transição tributária e entre os modelos, até a implantação total do procedimento, com metas, prazos, orçamentos;
  • Essa criação do Clube-empresa LTDA e/ou S/A, com a participação de entidades, empresas investidoras e/ou abertura de capital na Bolsa de Valores, utiliza o conceito de gestão de entidades esportivas da Alemanha, no qual prioriza o controle majoritário por parte dos clubes, preservando suas histórias, cores, tradição, planejando a quitação total da dívida do Clube e investindo em estrutura, possibilitando que o orçamento anual se torne real e aplicado de maneira planejada nos departamentos e, principalmente, no futebol;
  • Criação de órgãos independentes e autônomos, como Conselhos Fiscal, Administrativo, Auditoria, Compliance, Controladoria de Processos e Portal da Transparência, com dados atualizados em tempo real;
  • Funções de CEO (Chief Executive Officer) e CFO (Chief Financial Officer), com profissionais contratados do mercado;
  • Profissionalização de departamentos com a contratação de profissionais de cada área de atuação, com experiência e trabalhos de sucesso comprovados;

Esses procedimentos permitirão:

  • Verdadeira responsabilização judicial de toda e qualquer má e/ou temerária gestão;
  • Retomada da credibilidade do Clube no mercado nacional e internacional, não só no âmbito esportivo, mas dos negócios;
  • Controle e fiscalização total de todas as práticas, procedimentos, contratos, recursos, de maneira autônoma e independente, com os dados sendo inseridos, em tempo real, no Portal da Transparência;
  • Otimização de aplicação de recursos e investimentos, sem gastos desnecessários, por meio de planejamento estratégico;
  • Trabalhando a marca nacional e internacionalmente; Ações diversas, visando parcerias nacionais e internacionais, com importantes entidades, explorando a marca Santos Futebol Clube em todo o mundo, não só no esporte, mas em negócios, ações sociais;
  • Novo modelo de relacionamento e comunicação com o torcedor santista, integrando informações e dados, melhorando o e-commerce, dentre outros aspectos, com os sistemas e ferramentas mais modernos utilizados nos esportes americanos e futebol europeu, por suas ligas, franquias e clubes;
  • Compromisso em atuar, de maneira igualitária, nas praças esportivas de Santos e São Paulo;
  • Estudos e compromisso de modernizar as estruturas físicas do Clube;
  • Minuciosa análise do perfil, postura, atitude e desempenho de todos os profissionais e departamentos, principalmente Futebol Amador e Profissional.

A Resgate Santista, há bastante tempo, está trabalhando todo este processo, conversando e contatando profissionais e empresas especializadas em todas as áreas de atuação, avançando no projeto final e de viabilização, pretendendo mudar o cenário das eleições do Clube, mas com um propósito superior, alterando o paradigma do futebol brasileiro.

Em nenhum momento a Associação Movimento Resgate Santista menciona nomes, mas apenas propostas que se tornarão um projeto estruturado e com planejamento estratégico. Mesmo ciente de que as eleições serão disputadas somente no final do ano, a antecipação das informações torna-se necessária devido às movimentações sempre dos mesmos personagens políticos, com alianças de nomes, divisões e determinações de cargos e funções, muitas vezes sem nenhuma similaridade de ideais, tendo o poder como único motivador dos conchavos.

Ou seja, enquanto a Resgate Santista está buscando, por meio de conceitos, modelos, legislação, profissionais e empresas, um Santos Futebol Clube equilibrado, competitivo e estruturado (organização e fisicamente), os demais seguem o modus operandi em que se julgam melhores e em condições de definir, entre quatro, cinco ou seis pessoas, quem deve ser o próximo presidente ou vice do Clube, presidente do Conselho Deliberativo, Superintendente de Esportes, sem contar o aumento do quadro de funcionários – conhecido como cabide de empregos e motivado pelas alianças.

O Santos Futebol Clube possui 105 anos com o mesmo modelo arcaico de gestão e precisa e merece estar situado, sob todos os aspectos, no lugar que é seu por direito, junto às principais marcas esportivas do mundo.

Acreditamos que o projeto elaborado e que será apresentado em breve a vocês, torcedores santistas, por meio desses aspectos abordados no texto, dará essa oportunidade para um novo Santos Futebol Clube. Portanto, esta carta de apresentação é o ponto de partida para que o torcedor e associado do Clube conheça a nossa proposta e seja convidado para uma reflexão sobre o futuro que queremos para o nosso Santos Futebol Clube.