Morre Zito, o eterno capitão alvinegro

Morreu na noite do último domingo (14), aos 82 anos, o ‘eterno capitão’ Zito, ex-meio-campista Bicampeão Mundial pelo Santos Futebol Clube e pela Seleção Brasileira. José Ely Miranda atuou pelo clube entre 1952 e 1967 e foi o grande líder do considerado maior time de todos os tempos, ao lado de Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pepe e Pelé, o rei do futebol.

Zito foi um dos maiores jogadores da história do futebol (Foto: Reprodução/Alvinegro da Vila)

Zito foi um dos maiores jogadores da história do futebol (Foto: Reprodução/Alvinegro da Vila)

Na carreira profissional, o ídolo alvinegro sempre foi Santos FC, único clube por onde jogou depois de ter começado no Taubaté. Trabalhou também nas categorias de base do clube e ajudou a revelar Robinho, Diego e Neymar.

Em 727 partidas com a camisa do Peixe, Zito marcou 57 gols e venceu nove Campeonatos Paulistas, quatro Brasileiros (na época, Taça Brasil), duas Libertadores da América, dois Mundiais Interclubes e quatro Torneios Rio-São Paulo. Pela Seleção Brasileira também foi Bicampeão Mundial, como titular, em 1958 e 1962. Na final contra a Tchescolováquia, marcou um dos gols que deu o bicampeonato ao Brasil.

O Santos FC prestou a última homenagem ao eterno capitão nesta segunda (15). Por volta das 13 horas, o carro com o corpo do ex-jogador percorreu as ruas ao redor da Vila Belmiro e houve uma grande queima de fogos. Dezenas de torcedores e funcionários do clube estiveram presentes no adeus ao ídolo. Depois o carro seguiu para a frente da Prefeitura de Santos e após foi para a cidade de Roseira, no Vale do Paraíba, sua cidade natal onde será enterrado. O velório aconteceu no Memorial Necrópole Ecumênica, em Santos.

 

O clube decretou luto oficial de sete dias. O lançamento do Livro “O Time da Virada” e a homenagem ao Dia Modesto Roma, marcados para esta segunda (15), foram cancelados.