Falta de representante do Santos FC em velório da Chapecoense gera irritação entre conselheiros

Há uma semana ocorria um dos velórios mais marcantes da história do futebol mundial. A tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense e jornalistas à Colômbia chocou o mundo.

Santos FC não teve representante no velório da Chapecoense (Foto: Reprodução/GloboEsporte.com)

Santos FC não teve representante no velório da Chapecoense (Foto: Reprodução/GloboEsporte.com)

Como os outros clubes brasileiros, o Santos FC tentou enviar algum representante, mas devido a algumas “atrapalhadas”, o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Gallotti Bonavides, não conseguiu chegar a Chapecó.

A ideia inicial era que o presidente do Peixe, Modesto Roma Júnior, fosse até o velório, em respeito e solidariedade aos familiares dos mortos e da equipe catarinense, mas o dirigente não pôde ir. A solução então, foi enviar Bonavides.

Informado que o voo sairia de Guarulhos às 7h do último sábado (3), o presidente do Conselho saiu de Santos próximo das 4h. Ao chegar no aeroporto ele recebeu a informação que a partida do avião era somente às 13h, e não às 7h, como a diretoria tinha lhe informado.

O velório na Arena Condá começou no período da manhã. Mesmo assim, Bonavides seguiu viagem, conforme publicado no ESPN.com.br. Próximo de Santa Catarina, o mau tempo em Chapecó o impediu de pousar no aeroporto local. A solução foi ir para Porto Alegre, mas já era tarde e a única opção do dirigente era voltar para Santos.

O fato teria gerado incomodo nos bastidores. Os Conselheiros do Santos FC fizeram questão de lembrar que até representantes da FIFA conseguiram chegar a tempo, vindo da Europa.