Ex-membros do CG criticam presidente santista e Conselho reprova contas de Modesto Roma

Conselho Deliberativo reprovou novamente as contas da gestão anterior (Foto: Reprodução/Blog Santos em Off)

Conselho Deliberativo reprovou novamente as contas da gestão anterior (Foto: Reprodução/Blog Santos em Off)

Em meio a preocupante campanha que o time do Santos Futebol Clube faz dentro de campo, os membros do Conselho Deliberativo foram convocados para uma reunião extraordinária na noite da última terça-feira (14).

Na pauta, temas como o parecer da Comissão de Inquérito e Sindicância (CIS), demonstrações financeiras de 2017, criação de um curso de conselheiros, uma comissão para fiscalizar a venda do atleta Rodrygo Goes e esclarecimentos sobre a renúncia de dois membros do Comitê de Gestão, Andrés Rueda e Urubatan Helou.

O Alvinegro da Vila preparou um resumo com tudo o que aconteceu. Confira abaixo.

RUEDA E URUBATAN ACUSAM JOSÉ CARLOS PERES

Os ex-membros do Comitê de Gestão, Andrés Rueda e Urubatan Helou, esclareceram ao Conselho Deliberativo o motivo de suas renúncias. Praticamente, uma fala complementou a outra. Segundo os ex-gestores, foi muito difícil lidar com o jeito centralizador do presidente Peres. Os dois deixaram claro que não queriam deixar o CG, mas que as decisões referentes ao clube não eram decididas em conjunto e muitos assuntos não eram levados às reuniões porque o atual presidente decide a maioria dos assuntos sozinho.

CONTAS DA GESTÃO MODESTO ROMA SÃO NOVAMENTE REPROVADAS 

Depois de analisar uma nova defesa enviada pela gestão anterior do clube, o Conselho Deliberativo seguiu o parecer do Conselho Fiscal e reprovou novamente, por unanimidade, as contas referentes ao mandato do ex-presidente Modesto Roma Júnior.

CIS

A Comissão de Inquérito e Sindicância elaborou um parecer para ser discutido e votado na reunião sobre a participação da empresa Quantum Solutions Limited, com sede em Malta, na transação que vendeu Neymar Jr. ao Paris Saint-German.

Segundo a empresa maltesa, o Santos deveria os pagar pelo intermédio da transação entre o ex-atleta e o clube francês. Pois bem, de acordo com a CIS, não houve dolo na intermediação da Quantum no caso da venda do Neymar, portanto os membros da comissão se recusaram a fazer um novo relatório.

Mas, alguns conselheiros, levantaram informações sobre este caso e apresentaram hoje ao plenário. Um deles inclusive, pediu para que seja levado ao Ministério Público e tratado como crime. Sendo assim, os demais conselheiros se recusaram a votar o assunto, exigindo que um novo relatório seja feito pela CIS, com os novos desdobramentos apresentados na reunião.

RODRYGO

Foi criada uma comissão para fiscalizar o dinheiro da venda de Rodrygo ao Real Madrid. O modo como o dinheiro será usado não será decidido por esse grupo, mas a discussão poderá ser levada ao CD, caso os membros discordem do ato da presidência.

Essa comissão foi criada com receio que o dinheiro da transação desapareça, ou seja usada para algo de caráter duvidoso. A venda do “rayo” saiu por 45 milhões de euros (R$ 194 milhões). O Santos receberá 40 milhões de euros (R$ 173 milhões), sem descontos e os outros cinco milhões de euros serão do atleta.

PACAEMBU

Outro assunto que gerou discussão foi a licitação do Pacaembu. Um dos conselheiros reclamou que o estatuto foi desrespeitado, pois o clube só poderia ter dado entrada para requerer o estádio com o aval do Conselho Deliberativo, o que não aconteceu.

O presidente do CD, Marcelo Teixeira, disse que cobrará Peres e o CG. Além disso, Teixeira disse que nenhum assunto passará sem o consentimento dos conselheiros.