Conselho reprova contas e “polêmica das comissões” faz com que Modesto tenha que se explicar

Após as contas do primeiro ano da gestão do presidente Modesto Roma Júnior serem reprovadas, o Conselho Fiscal do clube, enviou nos últimos dias, um ofício endereçado ao atual mandatário, para que ele dê explicações referente ao valor de R$ 2.942.214,00, pago pelo Santos FC a intermediários na transferência do atacante Geuvânio ao Tianjin Quanjian, da China.

Modesto Roma Júnior deve se reunir com Conselho Deliberativo para explicações (Foto: Divulgação/Santos FC)

Modesto Roma Júnior deve se reunir com Conselho Deliberativo para explicações (Foto: Divulgação/Santos FC)

A negociação com o clube chinês foi fechada em 11 milhões de euros (R$ 48 milhões). O Santos, junto com o fundo Doyern, era dono de 35% dos direitos do atleta e embolsou R$ 17 milhões. No entanto, o Conselho Fiscal Alvinegro questiona que na reunião que selou o acordo, realizada na capital paulista, o órgão enviou representantes que afirmam não ter visto nenhuma pessoa ligada a empresa Lets Goal, uma das beneficiadas com a transação.

Agora, Modesto Roma terá que se explicar ao CF e repassar a situação ao Conselho Deliberativo do clube, até o fim deste mês. Vale ressaltar que o pagamento de comissões foi o principal fator para que os fiscalizadores decidissem reprovar as contas do primeiro ano da atual gestão. Contudo, após uma liminar que comprovou votos de ex-membros desta diretoria, a decisão foi derrubada.